Política

Cabral abre o bico e afirma que Crivella recebeu US$ 1,5 mi para apoiar Paes

Crivella e Cabral em carretada realizada em 2010 no Rio.

Sérgio Cabral, ex-governador do Rio de Janeiro, abriu o bico na última sexta-feira(05) e acusou membros do executivo, judiciário e legislativo, no depoimento feito ao juiz Marcelo Bretas, onde relatou o esquema de corrupção na Fetranspor.

Na audiência, que teve cerca de duas horas de duração, Cabral contou detalhes da compra de apoio político, estudos para chancelar iniciativas do governo, caixa dois nas campanhas e do esquema de corrupção com as empresas de ônibus do Rio de Janeiro

De acordo com afirmação do ex-governador, o atual prefeito do Rio, Marcelo Crivella teria recebido US$ 1,5 milhão como compra de apoio.
Segundo o depoimento, Crivella teria recebido o valor para apoiar Eduardo Paes durante a disputa do segundo turno nas eleições para prefeito do Rio em 2008, contra Fernando Gabeira.

Em seu depoimento, Cabral disse que foi procurado por Crivella, que contou ao ex-governador que teria recebido uma oferta de US$ 1 milhão de Armínio Fraga, que participava da campanha de Fernando Gabeira.
Crivella teria dito também a Cabral, que não gostaria de apoiar o adversário de Eduardo Paes por suas convicções religiosas.

Crivella nega as acusações.

Em um vídeo compartilhado nas redes sociais, o atual prefeito do Rio, afirma que o que foi relatado por Cabral “é mentira” e que a sua opção por apoio a Eduardo Paes foi apenas por ele ser o candidato dos evangélicos.

“Eu não conheço o senhor Armínio Fraga, nunca estive com ele, nem tampouco ele me ofereceu qualquer recurso. A minha opção por Eduardo Paes se deu porque era o candidato que tinha afinidade com os evangélicos. Todos os evangélicos apoiaram Eduardo Paes na sua primeira candidatura. Eu lemento muito que isso ocorra agora”

O jornalista Fernando Gabeira, que concorreu a prefeitura com Eduardo Paes em 2008, disse ignorar as acusações de Cabral e que “Armínio Fraga jamais faria esta oferta”.

O ex-prefeito do Rio Eduardo Paes ainda não se pronunciou.

Armínio Fraga, ex-presidente do Banco Central disse que as informações prestadas por Sergio Cabral não são corretas e que se tratam de “mentiras”.

Mostrar mais

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

PUBLICIDADE

Aguarde 10 segundos e clique em fechar publicidade para visualizar a notícia.

Botão Voltar ao topo

Adblock detectado

Encontramos um bloqueador de anúncios em seu navegador. Desabilite-o para navegar