Saúde e Alimentação

Brasil já está se preparando para o coronavírus

Diante do crescente número de infecções respiratórias na China, ocasionadas pelo novo coronavírus, o Ministério da Saúde instalou, esta semana, o Centro de Operações de Emergência (COE) – novo coronavírus.

A medida vem com a notificação do segundo caso da infecção nos Estados Unidos e de pelo menos 26 mortes, segundo as autoridades de saúde chinesas.

O comitê brasileiro deve preparar a rede pública de saúde, o SUS, para atendimento de possíveis casos do vírus, chamado provisoriamente de 2019-nCoV.

Até o momento, não foi detectado nenhum caso suspeito no país, embora tenha ocorrido um falso alerta no Estado de Minas Gerais.

Isso porque a instituição de nível global acompanha a evolução do vírus desde as primeiras notificações na cidade de Wuhan, na China.

Esclarecimentos

Em coletiva de imprensa, o ministro da Saúde em exercício, João Gabbardo, destacou que a pasta continuará a atualizar a sociedade brasileira, de acordo com as informações da OMS.

O pronunciamento acontecia enquanto o responsável oficial, Luiz Henrique Mandetta, estava em viagem, no Fórum de Davos, na Suíça.

“O Ministério da Saúde tem obrigação de esclarecer e não gerar pânico desnecessário na população e estamos trabalhando junto com as secretarias estaduais com essa finalidade. A nossa rede laboratorial está preparada para realizar os testes e fazer os diagnósticos”, argumentou João Gabbardo.

Além disso, foi explicado que o COE é composto por técnicos, especializados em saúde pública, vindos da Organização Pan-Americana da Saúde (OPAS/OMS), da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), do Instituto Evandro Chagas (IEC), entre outros.

Características do coronavírus chinês

De acordo com as informações do Ministério da Saúde, é considerado como “caso suspeito do novo coronavírus, paciente com sintomas da doença, como febre, tosse e dificuldade para respirar.

Além disso, o paciente precisa ter viajado para área com transmissão ativa do vírus nos últimos 14 dias antes do início dos sintomas.”

Como até o momento só foram registrados casos de transmissão ativa do vírus na cidade de Wuhan, na China, o local é peça chave na definição de novos suspeitos.

Caso surjam novos focos de disseminação do vírus, as áreas com risco de transmissão serão atualizadas e disponibilizadas no site do Ministério da Saúde.

No entanto, até o momento, não há nenhum caso suspeito do novo coronavírus no Brasil”, explicou o secretário substituto de Vigilância em Saúde, Julio Croda, na coletiva de imprensa.

Inclusive, orientações para notificação imediata de casos suspeitos do novo coronavírus em áreas de entrada no país.

Ministério da Saúde orienta cuidados básicos para reduzir o risco geral de infecções respiratórias agudas, como: “evitar contato próximo com pessoas que sofrem de infecções respiratórias agudas; realizar lavagem frequente das mãos, especialmente após contato direto com pessoas doentes ou com o meio ambiente;

Etiquetas

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Botão Voltar ao topo
Fechar
Fechar