Saúde e Alimentação

Internação por problemas respiratórios no Brasil tem alta em meio ao coronavírus

Os dados oficiais de internações no Brasil por síndrome respiratória aguda grave (SRAG) em meados de março já se revelam o dobro das estimativas divulgadas na semana passada. Em meio à epidemia de coronavírus no País, o Ministério da Saúde divulgou neste sábado, 28, que na semana entre 15 e 21 de março houve 4.932 internações no País de pacientes com SRAG.

Na sexta-feira, o Estado publicou uma análise do sistema InfoGripe, da Fiocruz, que já estimava a internação de cerca de 2.250 pessoas nessas condições – além de febre, tosse, e outros sintomas, elas têm dificuldade de respirar no Brasil – naquela semana.

Como coincide com o crescimento dos casos confirmados de covid-19 e a confirmação da transmissão comunitária, é grande a chance de que boa parte desses casos seja em função do novo vírus, que se somou a essa tendência de alta”, havia afirmado Marcelo Gomes, pesquisador em saúde pública do Programa de Computação Científica da Fiocruz e coordenador do InfoGripe.

Com o objetivo de ajudar o governo no trabalho de vigilância epidemiológica, esse sistema trabalha desde 2014 com estimativas com base nos dados digitados no sistema público e notificações, levando em conta que há um tempo entre identificação do caso e essa informação entrar no banco de dados, ou seja: entre ocorrência do evento e ele estar disponível no banco de dados, explica Gomes nesta segunda.

Em geral, as estimativas se confirmam como corretas assim que o banco de dados é atualizado, mas a emergência atual está se mostrando “aberrante”, nas palavras de Gomes. “Pode ser que com uma semana de atraso foi digitado um percentual do total de casos muito acima do se esperava. É uma questão de proporções. A gente leva em conta quantos foram digitados na própria semana e, com base no padrão histórico de atraso de digitação, faz a projeção de quantos ainda vão ser digitados nas próximas semanas. Mas agora foram digitados muito mais casos com uma semana de atraso, em relação ao que entrou no sistema na própria semana”, explica.

Mostrar mais

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

PUBLICIDADE

Aguarde 10 segundos e clique em fechar publicidade para visualizar a notícia.

Botão Voltar ao topo

Adblock detectado

Encontramos um bloqueador de anúncios em seu navegador. Desabilite-o para navegar